Principal » Notícias » Semana é decisiva para o mínimo regional

Semana é decisiva para o mínimo regional

0 Flares 0 Flares ×

reajusteSindicalistas e empresários realizam, hoje pela manhã, uma reunião decisiva para definir o índice de reajuste do salário-mínimo regional para 2016. O encontro será mediado pelo governo do Estado e acontecerá na Secretaria do Planejamento e Desenvolvimento Regional (Seplan).

O objetivo do Palácio Piratini é enviar o projeto de lei à Assembleia Legislativa até sexta-feira, para que possa ser votado antes do final do ano, o que permitiria sua publicação antes da data-base em que começa a vigorar, 1 de fevereiro.

“Esperamos que os empresários aceitem discutir algo razoável, no mínimo a partir da inflação, para repor perdas”, afirma Guiomar Vidor, presidente da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) no Rio Grande do Sul. Quanto à antecipação da data-base, o dirigente diz que o assunto “está na mesa”, sendo passível de negociação. Em reunião com a Casa Civil em 18 de novembro, o secretário Márcio Biolchi (PMDB) prometeu às centrais trabalhar para que o texto do projeto que trata do mínimo seja enviado ao Legislativo ainda em 2015.

Em entrevista durante o balanço de fim de ano da Federação do Comércio de Bens e de Serviços (Fecomércio-RS), o presidente Luiz Carlos Bohn disse que o governo do Estado deveria usar com os trabalhadores o mesmo argumento defendido ao funcionalismo estadual para que não houvesse reajuste.
“Neste ano, não dá. Não tem como dar aumento, porque quem vai pagar esta conta é o empresário. E tem gente que está demitindo, porque não tem recursos, fica muito caro”, sustentou. Para Bohn, o índice defendido pelas centrais é um “número cabalístico”, sem referências. O dirigente defende que não haja nem a reposição da inflação do período. “Já somos obrigados a pagar os 16% que foram impostos (no ano passado), e já ficou muito elevado. Só se pode dar crescimento para o salário quando há produtividade, caso contrário é uma solução artificial”, afirmou.
Como o salário-mínimo regional está acima do nacional previsto para o próximo ano (R$ 865,50), o governador José Ivo Sartori (PMDB) pode legalmente deixar de reajustar o piso estadual, que atualmente varia de R$ 1.006,88 a R$ 1.275,00, em cinco faixas salariais, dependendo do segmento profissional.
Fonte: Jornal do Comércio
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 LinkedIn 0 Pin It Share 0 0 Flares ×
7 de dezembro de 2015 Escrito por: Kathy Cunha
Parceiros Empresas Gaúchas
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 LinkedIn 0 Pin It Share 0 0 Flares ×